“A Região precisa de se valorizar a si própria”

A Feira vai decorrer de 19 a 22 de Abril, em Bragança, e reúne diversas entidades, públicas e privadas, oriundas de 18 municípios transmontanos. “Temos de trabalhar em escala e conseguimos para esta Exposição a participação de um conjunto significativo de instituições, autarquias, produtores e empresas desta área territorial”.

Este ano a Expo Trás-os-Montes terá lugar em Bragança, contudo Eduardo Malhão pretende que o evento se repita ano após ano e em outros municípios: “Queremos que os municípios que se sintam com capacidade e vontade para organizar esta feira se candidatem”, disse.

A “excelência dos produtos locais, boa parte com certificação de qualidade”, onde se integram as carnes, os enchidos, vinho, azeite, mel, artesanato e outros, é a base principal desta exposição, mas há muito mais.

O sector do turismo terá também forte representação, conciliando, à paisagem e património existentes, a gastronomia, a cultura e tradição, o folclore, o alojamento, e outros sectores.

Ao longo dos quatro dias do certame, o programa de actividades contempla a realização de diversos debates, workshops, palestras e outras iniciativas que visam discutir e pensar a região e apontar novos caminhos para o seu desenvolvimento. As boas ideias e os empreendedores terão também espaços privilegiados para estabelecer contactos com potenciais investidores e financiadores. Está também prevista a realização, em Bragança, do Programa Prós e Contras, sob o tema da interioridade e da necessidade de repensar as estratégias regionais.

Eduardo Malhão deu como exemplo a importância económica que já têm para a região produtos como a castanha, que representa um volume de negócios estimado em 35 milhões de euros regionais, os enchidos, que geram receitas na ordem dos 30 milhões de euros anuais e a alheia de Mirandela, já responsável pelo ingresso na região de valores que se estimam em 28 milhões de euros. “Em todos estes sectores houve trabalho em rede. Diversas entidades souberam trabalhar pela afirmação de um produto que hoje tem sucesso”, comentou. Desta feira o dirigente do NERBA espera que resulte a criação de estratégias firmes para a projecção de outros produtos, serviços, destinos, que a marca Trás-os-Montes se afirme no contexto nacional e internacional e que venda, garantindo a criação de uma economia sustentável.